Cantanhede, espaço de vivências, sensações e opiniões...

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Cantanhede e a gestão dos seus espaços centrais



Cantanhede e a gestão dos seus espaços centrais é um tema que deverá interessar a todos os cantanhedenses pois, poderá interferir, directa ou indirectamente, com os seus rituais diários.


Neste momento, Cantanhede (cidade) tem 12 zonas com parqueamento pago. Até aqui tudo bem, no entanto não creio que se deva criar zonas de parqueamento pago sem se ter em conta os habitantes das imediações. No caso da, recém criada, 12ª zona de parqueamento pago tal não aconteceu. A Câmara Municipal de Cantanhede (CMC) limitou-se a deliberar a criação da zona e respectiva publicação em edital. Naturalmente que seria, de todo, impossível colher as sensibilidades da totalidade dos habitantes das imediações, no entanto a ausência total de informação complementar à atrás descrita é no mínimo preocupante. A CMC não se dignou a explicar aos habitantes das zonas contíguas ao parque de estacionamento existente entre a CMC e o Largo Cândido dos Reis,como será gerida esta situação.


No entender da administração deste blog é positivo que se criem condições para se usufruir da melhor forma possível do centro da cidade mas não nos esqueçamos de quem escolheu esse centro para viver, de quem paga as suas contribuiçoes municipais em virtude dessa sua escolha...


O que acontece neste local desde 02 de Novembro corrente ano é que quem vive nesta zona simplesmente ou paga o estacionamento para ir para casa ou terá que deixar o seu veículo um pouco mais longe (a noção de pouco e de longe será sempre relativa).


Não bastando tal facto, constata-se que, ao contrário do que tem sido habitual, está em fase final de construção um edifcio com espaços comerciais e de habitação (mesmo ao lado do Santander), com as traseiras para o parque em causa, que não tem espaço de parqueamente próprio (vulgarmente conhecido por garagens subterraneas). Serão mais 6 familias que vão escolher o centro da cidade para viver, mesmo sem estacionamento?


Parece-nos que a dualidade de critérios na viabiliação desta construção nestas condições é gritante!...


Parece-nos, também, que existe aqui alguma falta de sensibilidade para quem paga o seu imposto, para quem escolhe o centro da cidade (QUE SEGUNDO SABEMOS É DESEJADO QUE TENHA O MÁXIMO DE VIDA POSSÍVEL) para viver...


Sabe-se que o departamento de urbanismo da CMC é detentor de um certificado de qualidade, no entanto parece-nos que essa qualidade foi posta um pouco de lado permitindo a constução acima referida sem qualquer parqueamento próprio...


Cheira-nos a uma justiça pouco justa, caso contrário também os vários lugares disponíveis para estacionamento em frente à CMC também deveriam estar disponiveis para utilização mediante introdução de moeda no parquímetro...


"Quem decide um caso sem ouvir a outra parte não pode ser considerado justo, ainda que decida com justiça. "

(Séneca)

2 comentários:

lin disse...

A CMC não precisa de ter uma política de urbanismo específica para o centro da cidade, nem precisa de se preocupar com os que decidiram habitar essa zona central, nem mesmo se existe estacionamento para esses mesmos habitantes. A cmc precisa de pilim, muito pilim, para construir quatro estádios de futebol (o país, a europa e o mundo exultam com as rivalidades gandarezas) num raio de vinte quilómetros e afirmar o poder local quando concorrer (sózinha) à realização do Mundial 2018. Já estou mesmo a ver: Fifa - Cantanhede 2018 - o prazer do futebol gandarez. E como a evolução será tão rápida e o crescimento económico tão acentuado e a distância a que se estaciona do local onde se vive (como diz o autor do blog) é relativa. Ficamos, então, com a possibilidade de estacionar em qualquer um dos parques de estacionamento desses estádios de futebol - à borla (e poder assistir a um BRASIL-ARGENTINA ou a um Tocha - Marialvas)- antes de regressar a casa para dormir.
No entanto, assalta-me neste momento uma dúvida: será que nessa altura os parquímetros, do agora novo parque de estacionamento a pagar, ainda funcionarão?

Anónimo disse...

Amigos... há que não esquecer que estamos em tempo de crise e a vida custa a todos. Temos que «apertar o cinto»; temos que ajudar a melhorar a nossa terra! Afinal, o que já pagávamos não chegava!? Sinto que devemos contribuir um pouco mais, por isso, para além da contribuição autárquica, da percentagem de irs, da água, luz e sei lá mais o quê, passamos também a pagar para ter o carro estacionado perto de casa. Mas a culpa é nossa!!! Quem nos manda ter mais do que um carro?
Quem tem dinheiro para dois carros por família e só tem um lugar de estacionamento na cave é claro que tem que pagar.... pois claro que tem!!!
Resta saber qual será a próxima invenção da CMC para subtilmente retirar mais algum, ainda que pouco, poder de compra ao Zé Povinho.
Ah, e depois querem que o pessoal
jovem viva na cidade!!! Pra quê? No campo há menos despesas e preocupações. E ainda dá pra ter uma horta e uns bichos...
Pensando bem, na cidade também há muitos bichos, até mais do que no campo, andam é mascarados (acho que até são maioritariamente papagaios ou outras aves raras) o ano inteiro e à solta!!! São um perigo!! Atenção às cabeças!(Mas também, já estamos habituados, não é verdade?)

Salve-se quem puder!
Divirtam-se...